Totalmente imerso no universo de Scandal, fui dormir às 4h da manhã. A série tem um ritmo muito acelerado (tipo Orphan Black, mas sem enrolação) que é capaz de te deixar sem fôlego durante vários episódios seguidos. Não tinha como esperar algo diferente da Shonda Rhimes, criadora de Grey’s Anatomy, né?

KERRY WASHINGTON

Se você gosta de mulheres com personalidade forte, vai se apaixonar pela protagonista (até o presidente não resistiu hahaha). Olivia Pope é uma fixer, o trabalho dela é resolver problemas de imagem e lidar diariamente com escândalos ligadas à Casa Branca. Ela ajudou a eleger e mantém um caso com o presidente dos Estados Unidos, que é casado com a personagem mais cobra e mais legal dos últimos tempos, a Mellie ❤.

Fitz, o presidente (tenho até uma quedinha) e a primeira-dama.

A equipe da Olivia também tem um roteiro bem desenvolvido e cheio de mistérios. Super bem construídos, cada um deles tem seus segredos e medos que são explorados ao longo da série, sem nenhuma enrolação. O humor ácido da Abby (ruiva maravilhosa) é uma das melhores coisas do escritório, mas eu tô amando a relação entre o Huck (programador super freak) e a Quinn.

scan-cast

Se você se interessou, dá uma olhadinha nesse trailer incrível que é tiro e queda! A série não é exatamente sobre política, mas sim sobre as cartadas sujas por trás disso tudo. Vale muito a pena começar, pois o Netflix já tem as 3 primeiras temporadas e a quarta acabou de estrear na televisão.

phellipe
escrito por
phellipe
Designer e programador do Young Dog Studio, apaixonado por caligrafia, café, games, decoração, cachorro, ficção cientifica e plantas. (ufa!)
Veja Mais Posts sobre
28/09/2014

Compartilhar gostos musicais faz com que lembranças se tornem algo muito além do visual. É muito gostoso ouvir uma música e lembrar de alguém quase que instantaneamente. Nessa semana Yelle lançou album novo e algumas pessoas me marcaram em vários lugares. Fiquei muito feliz por ter sido lembrado. ❤

te

Eu descobri Yelle timidamente quando comecei a fazer djsets em festas de amigos. O remix A Cause Des Garçons (curiosamente um cover de um duo com o mesmo nome) foi um hino clubber de 2007, mas só me apaixonei pelo trio e sua estética (eu sou totalmente ligado nisso) um bom tempo depois.

A versão original de A Cause Des Garçons é uma das músicas mais legais do album de estreia, o Pop-Up. Ainda se salvam Je Veu Te Voir e Ce Jeu. Esses três clipes conversam muito entre si e provam desde cedo que Yelle já tinha uma identidade forte e super bem definida.

A paixão de verdade bateu forte quando o Safari Disco Club chegou. O disco, muito animado e cheio de instrumentos experimentais, embalou minhas longas tardes de trabalho em 2011.

Além dessas duas aí, o destaque vai pros batuques em S’eteint Le Soleil, J’ai Bu e Comme Un Enfant com o clipe mais maravilhoso de todos. Chora nessa paleta de cores e nesse cenário, meu povo!

Voltando aos dias atuais, acabou de sair o novo album produzido pelo Dr. Luke (não tava apostado um euro nisso). O electro pop que me fez cair de amores por Yelle ainda é o mesmo, só que bem mais radiofônico. Por falar nisso, acabou de sair o clipe de Complètement Fou! A música ainda não é minha favorita do novo album, mas tá aí pra provar que Yelle é mesmo a rainha do bom gosto.

Bom, é isso! Dá pra escutar o album inteirinho lá no Que Delícia. Espero que você comece a gostar de Yelle da mesma maneira que eu. Aproveite a curta distância entre o final do post e a caixa de comentários pra dizer quais são suas músicas preferidas ou até mesmo dicas de coisas parecidas, vou amar! ❤ Beijo!

phellipe
escrito por
phellipe
Designer e programador do Young Dog Studio, apaixonado por caligrafia, café, games, decoração, cachorro, ficção cientifica e plantas. (ufa!)
Veja Mais Posts sobre
26/09/2014